Comunicação // Tópicos sobre a preservação e documentação da arte digital // Deyse Marinho


Segunda Etapa – Acervo #2 / Aquisições

COMUNICAÇÃO // Tópicos de Preservação e Documentação da Arte Digital

DEYSE MARINHO é museóloga formada pela FAV/ICA/UFPA. Mestranda em Artes / Preservação do Patrimônio Cultural – PPGArtes/EBA/UFMG. Idealizadora e coordenadora geral de três edições e exposições do Salão Xumucuís de Arte Digital (2011, 2013, 2014), Panorama da Arte Digital no Pará (2012), Cinema no Pará: História e Memória (2012), Hiper_Espaços Xumucuís (2014). Coordenadora museológica da Cinemateca Paraense e produtora de todas as suas ações e projetos. Pesquisadora de artes visuais e patrimônio histórico e cultural no estado do Pará.

O Museu de Arte Xumucuís, plataforma de pesquisa, documentação e preservação de arte digital foi viabilizado a partir do edital de Artes Visuais Fotoativa/Lei Aldir Blanc/Secult-Pa.

ACERVO #02 // AQUISIÇÕES

UM MUSEU PARA A ARTE CONTEMPORÂNEA DIGITAL

O projeto Museu de Arte Xumucuís, um espaço museológico no ciberespaço dedicado à pesquisa, documentação, preservação e difusão da arte contemporânea digital amazônica, realiza entre os dias 20 e 24 de Setembro de 2021 sua segunda e última etapa de implantação da plataforma. Na primeira etapa incorporamos ao acervo obras dos artistas Armando Queiroz, Galvanda Galvão, Melissa Barbery e Turenko Beça, obras de videoarte, colagem e pintura digital, artistas com carreiras consolidadas no circuito da arte contemporânea. Nesta segunda etapa serão adquiridas e incorporadas ao acervo obras de Antonia Muniz, Henrique Montagne, Kambô e Moara Brasil, artistas com trajetórias potentes iniciadas na última década.

Antonia Muniz é artista, arte educadora e cientista social, e desenvolve sua poética a partir da palavra, da performance, da fotografia e do bordado, e participa com a obra “Operatório ou outra forma de apagar a luz” (2021) de Antonia Muniz faz parte da pesquisa “Fissurada: a hospitalização como dispositivo criativo” da artista. Henrique Montagne é artista visual multimídia, curador e dj, e sua linha de produção poética e artística investiga os jogos de poder e as relações afetivas, trabalhando com arte contemporânea, desenvolve trabalhos de novas mídias, performance art, site specific, instalação, escultura e desenho, e incorpora ao acervo sua série “Corpo in Movimento” (2014), uma experimentação entre fotografia, dança e música, que sugerem uma intervenção do corpo nos espaços urbanos e uma recriação artística da própria cidade enquanto espaço da arte. 

Moara Tupinambá é artista multiplataforma e utiliza o desenho, pintura, colagens, instalações,vídeo-entrevistas, fotografias, literatura e performance, sua poética percorre cartografias da memória, identidade, ancestralidade, resistência indígena e pensamento anticolonial, e a obra “Mãe Lua” (2016) é fruto de uma reconexão da artista com suas raízes indígenas, sua transição para o entendimento de sua identidade ancestral. Kambô é um artista multimídia, pesquisador e produtor cultural que desenvolve projetos de arte e tecnologia com a Amazônia e seu cotidiano como cenário e fonte de inspiração e a pintura digital em realidade aumentada “Búfalo do Marajó’ (2021) aplica a tecnologia para revelar uma segunda camada de sentido para a obra.

Além da apresentação das obras incorporadas ao acervo, a segunda etapa do projeto conta com duas comunicações, “Tópicos sobre a Preservação e Documentação da Arte Digital” com Deyse Marinho, idealizadora e coordenadora geral do projeto, e “Curadoria em Arte Contemporânea Digital na Amazônia” com Ramiro Quaresma, curador do projeto. Serão realizados e publicados dois bate-papos com artistas participantes do projeto, com a artista, pesquisadora e professora de Artes Visuais Melissa Barbery, e com o artista visual Henrique Montagne. No dia 24 de setembro será lançado o catálogo virtual com textos curatoriais, documentação da pesquisa e as obras que compõem o acervo inicial do Museu de Arte Xumucuís.

O Museu de Arte Xumucuís, plataforma de pesquisa, documentação e preservação de arte digital, é resultante da pesquisa e experiência de mais de 10 anos da museóloga e mestranda em Preservação do Patrimônio Cultural (EBA/UFMG) Deyse Marinho e do professor, curador e pesquisador Ramiro Quaresma, com projetos e exposições em arte digital, e  foi viabilizado a partir do edital de Artes Visuais Fotoativa/Lei Aldir Blanc/Secult-Pa.

Serviço: 

Museu de Arte Xumucuís

Segunda Etapa – Acervo #2 / Aquisições

20 a 24 de Setembro de 2021

Apresentação das obras, comunicações, conversas com artistas e lançamento do catálogo.

100% on line.

https://www.instagram.com/museudeartexumucuis/

https://www.facebook.com/museudeartexumucuis