Atelier de artes: necessidades pertinentes! (do blog Transformances Acadêmicas)

A equipe do blog acredita que essa é causa é muito justa, a situação pela qual passa a Faculdade de Artes Visuais e Museologia é extramente delicada e se faz necessário um posicionamento urgente da reitoria da UFPA.

Leia abaixo as reinvidicações dos docentes e discentes da FAV-UFPA, publicadas no blog Transformances Acadêmicas:

Atelier de artes: necessidades pertinentes! Hoje ocorreu um evento histórico no auditório da Faculdade de Comunicação e Letras da UFPA. Com a organização de uma assembléia geral, que teve a participação de docentes, discentes e técnicos do Atelier de Artes, foi discutida a atual situação dos cursos desenvolvidos pela Faculdade de Artes e Museologia e os impasses referentes à questão da deficiência logística já proeminente em nosso espaço de estudo, somadas às já explícitas animosidades com os gestores de graduação em música.

Para que se pudesse desenvolver um discurso, a trajetória do curso de artes foi traçada com base nos depoimentos dos professores Edson, Edilson, Afonso Medeiros e Neder Charone, que se encontram na instituição desde épocas passadas do curso de artes, quando era repartido o espaço com o curso de letras no campus básico, de maneira precária e deficiente. E um detalhe foi afirmado e enfatizado em uníssono: todas as políticas realizadas em prol da garantia e acesso a um espaço independente para o desenvolvimento de um curso digno de artes foi batalhada e conseguida somente pelos docentes e discentes de Artes, e inclusive, a tomada da reitoria, objetivada para a aceleração da construção do atelier, também é de mérito dos alunos de artes.

Essas memórias – em prol de um discurso do qual os gestores dos cursos de artes e museologia estão com a intencionalidade de “tomar posse” de um espaço que por direito é do curso de graduação em música – estão sendo ignoradas oportunamente, em somatória com a absoluta necessidade de espaço que vem sendo sofrida com a criação dos novos cursos através do REUNI: Cinema e Museologia. É sabido que a FAV se partidarizou ao REUNI para abrigar esses dois novos cursos, e essa decisão foi tomada contando com o espaço direito do atelier, que estava a ser provisoriamente utilizado pelo curso de graduação em música. Eles, do curso de música, tinham de arrumar seu próprio prédio para abrigar suas turmas e a coordenação, decisão esta tomada desde meados a gestão de governo federal passada, e enquanto a obra seria levantada, eles alugariam um espaço para não prejudicar seus educandos. Porém, o aluguel foi protelado até hoje, e com a posse da Dilma, os aluguéis de espaços para uso de instituições federais foi proibido. Os impasses gerados por essa decisão são prejudiciais para todos, porém, o curso de música fechou suas portas para o diálogo, e além de não ceder espaços necessários – historicamente e oficialmente nossos – também realizam reuniões em caráter fechado para manter essas atitudes que desobedecem, no mínimo, qualquer noção de boa convivência e respeito a nossa faculdade.

Por isto nós, dos cursos de Artes Visuais, Cinema e Museologia, nos reunimos para buscar meios legais e gerar um consenso quanto às atitudes que todos irão tomar a partir daquele momento e quanto as questões a serem resolvidas com urgência.

Tais questões urgentes são:

•O repúdio ao atual posicionamento da gestão de graduação em música, e a tentativa de novos diálogos em conjunto.

•Uma reivindicação ao Reitor de um posicionamento quanto à verba do REUNI, principalmente com relação à obras referentes ao Anexo para os cursos de Cinema e Museologia.

•A adaptação imediata do espaço do Atelier, para abrigar a todos enquanto essas obras não concluem.

•Que a utilização da verba do REUNI seja utilizada com inteligência para a execução desta obra, e temos até este ano para isso.

•O levantamento de dados referentes à quantidade de alunos, evasão escolar, formandos, projetos de pesquisa em extensão e grupos de pesquisa em todos os cursos do atelier – incluindo música – para obter respaldo quanto à necessidade de infra-estrutura dos cursos.

E para que essas questões sejam sanadas em tempo hábil, dois grupos foram criados hoje: uma para as questões burocráticas, e a tentativa de aceleração dos processos legais referentes às problemáticas abordadas e outro para sensibilização da comunidade. Ambos os grupos são formados por docentes e discentes dos cursos de artes e museologia, e qualquer um pode se voluntariar para ambos… tendo em mente que a luta por um espaço digno para todos os cursos será a grande pauta para todas as atividades de ambos os grupos, de maneira justa e discutida sem detrimento ao direito de nenhum outro indivíduo, estudante ou funcionário da comunidade acadêmica.